ananda ebooks










Visite também:

Colegio dos Magos
ananda ebooks Entre o Corpo e a Mente


Entre o Corpo e a Mente


Os pensamentos e sua influência na química cerebral estão gerando discussões muito interessantes, que abordam a respeito do espaço que aparentemente separa a mente do corpo, a importância da qualidade do pensamento para a manutenção de uma vida saudável, chegando até a ocorrência de relatos de curas espontâneas em pacientes com câncer, relacionada à alteração de consciência.

O objetivo deste artigo é expor a relação entre o corpo e a mente sob o ponto de vista quântico de Deepak Chopra. Para isso, foi utilizado como base seu livro “A Cura Quântica”.

O conhecimento sobre o envio de informações entre as células nervosas é extremamente importante para a compreensão de todas as nossas sensações, sentimentos, respostas motoras e emocionais, aprendizagem e memória. Os neurônios coletam a todo o momento informações sobre o estado de nosso organismo e seu ambiente externo, e responde a esses estímulos coordenando atividades apropriadas à situação e às necessidades atuais da pessoa. O processamento dessas informações ocorre através dos impulsos nervosos.

Na década de 70, uma série de importantes descobertas foi feita com relação aos impulsos nervosos. Até então, os fenômenos envolvidos no processamento do impulso nervoso eram considerados de natureza elétrica. Foi descoberta uma nova classe de substâncias químicas instantâneas, chamadas de neurotransmissores. Essas substâncias transmitem impulsos nervosos, atuando no nosso corpo como “moléculas comunicadoras” através das quais os neurônios podem interagir com todo o organismo.

Os neurotransmissores partem do cérebro e voltam a ele, informando a todos os órgãos nossas emoções, desejos, lembranças, intuições e sonhos. Sua descoberta é importante por tornar a interação da mente e da matéria mais móvel e fluente. Sempre que um pensamento quer se formar, essas substâncias químicas também precisam agir, porque ele não pode existir sem elas. O ato de pensar promove uma cascata de respostas de natureza química através do corpo.

Além disso, a importância de considerar o neurotransmissor como um meio da mente interagir com o organismo se tornou mais evidente após a década de 80, quando foram encontrados receptores para neurotransmissores em células do sistema imunológico.

E quando os pesquisadores prosseguiram, indo além do sistema nervoso e imunológico, começaram a descobrir substâncias e seus respectivos receptores, que também são produzidas e liberadas pelas células cerebrais, em outros órgãos, como os intestinos, rins, estômago e coração. Tais substâncias são denominadas neuropeptídeos, que também atuam como formas de comunicação interna do corpo, assim como os neurotransmissores.

Toda essa descoberta vem demonstrando o sistema mente-corpo como uma verdadeira “rede de informações”, integrando os órgãos do corpo com o sistema nervoso, e mostrando um outro ângulo na visão de que o corpo pode “pensar”.

A discussão sobre a relação pensamento-neurotransmissor nos leva a alguns pontos a serem considerados:

1) A importância da qualidade de nossos pensamentos para influenciar beneficamente a fisiologia de nosso organismo;

2) A complexidade das reações químicas que ocorrem no organismo de forma coordenada e inteligente;

3) A velocidade com que ocorre a transformação pensamento-molécula;

4) A natureza quântica do processo.

Veremos a seguir a cada um desses tópicos.

1) A relação entre pensamento e neurotransmissores se mostra tão associada a ponto que, as áreas do nosso corpo que são responsáveis pela mediação de nossas emoções – as amígdalas e o hipotálamo – são especialmente ricas em todas as substâncias do grupo neurotransmissor. Isso significa que onde os processos de pensamento são abundantes, o que quer dizer que muitos neurônios estão fortemente agrupados, também estão as substâncias químicas associadas ao pensamento.

Podemos, desta forma, considerar que a produção de neurotransmissores está relacionada com nosso estado de humor e afetivo. Bons pensamentos ou pensamentos tristes irão influenciar diretamente na produção de neurotransmissores no organismo. A produção abaixo do necessário acarretam mau humor, cansaço físico e mental, stress, depressão, ...

Num primeiro momento, podemos concluir que a qualidade de nossos pensamentos está intimamente relacionada ao nosso estado de saúde. Se estamos equilibrados mentalmente, tudo funciona adequadamente, e as comunicações internas entre os impulsos nervosos ocorrem sem que sequer tomemos consciência delas.

2) Apesar de estarmos discutindo a respeito da relação mente-corpo, através da produção de neurotransmissores a partir da produção de um pensamento, a realidade do desencadeamento das ações no organismo é bem mais complexa. Tomemos como exemplo uma situação que possa alterar o seu metabolismo a partir de um desvio de atenção súbito, descrita no livro “A Cura Quântica”:

“Se você ouvir uma forte explosão vinda da rua e se sobressaltar em sua poltrona, numa reação instantânea, esse mesmo efeito ocorre diante de um complexo evento interno. O gatilho para esse evento é o jorro de adrenalina liberado pelas glândulas suprarenais. Levada pela corrente sanguínea, essa adrenalina comunica as regiões do coração, que começa a bombear o sangue mais rapidamente – às veias, que se contraem e forçam a elevação da pressão arterial; ao fígado, que põe mais combustível na forma de glicose; ao pâncreas, que segrega tanta insulina que mais glicose é metabolizada; e ao estômago e intestinos, que param imediatamente de digerir os alimentos para que a energia seja desviada a outro lugar.

Toda essa atividade, que se desenvolve num ritmo violento e com efeitos poderosos em todo o organismo, é coordenada pelo cérebro, que usa a pituitária para distribuir os sinais hormonais acima descritos. Além disso, outras sinalizações químicas percorrem os neurônios, fazendo com que a vista focalize melhor, os ouvidos fiquem mais aguçados, os músculos das costas se retesem e a cabeça se volte em sinal de alerta.”

Apesar do exemplo acima descrever uma reação metabólica desencadeada a partir da percepção de um fenômeno externo, em nosso organismo, nas condições basais de funcionamento, ocorrem a todo o momento reações tão complexas e coordenadas quanto às descritas acima.

O corpo possui muitas substâncias químicas - literalmente milhares delas - produzidas em padrões espantosamente complexas, que surgem e acabam rapidamente, quase sempre em frações de segundos.

A pergunta que se encaixa nesse momento é a seguinte: O que controla esse fluxo constante de reações? Atualmente a resposta de muitos autores para essa pergunta é que existe uma energia inteligente que coordena todas as atividades do organismo. Essa energia nos motiva a “viver, agir e pensar”.

Deepak Chopra, considerando a gama de reações que ocorrem no organismo de forma ordenada, chega a três conclusões:

• “Essa inteligência está presente em qualquer parte de nosso corpo;“

• “Nossa inteligência interior supera de longe qualquer outra com que se procure substituí-la a partir do exterior“, considerando que quaisquer tentativas de mimetizar as reações que ocorrem no organismo ficam longe de se igualar ao impecável nível de coordenação que se realiza naturalmente em nosso interior;

• “Essa inteligência é mais importante que a própria matéria de nosso corpo, já que sem ela a matéria ficaria dispersa, sem forma e caótica.“

3) Outra característica que acompanha a relação mente-corpo é a velocidade com que ocorre o pensamento e a reação correspondente no organismo. A resposta das células nervosas aos estímulos gerados a partir das informações, seja do estado interno do organismo ou vindos do ambiente externo, é imediata. Simplesmente não há um espaço para erguer uma divisão entre ambos. Para se ter uma idéia, a transmissão de uma célula nervosa já foi registrada a uma velocidade superior a 360km/h. Um sinal enviado da cabeça aos pés leva menos de um qüinquagésimo de segundo.

Chopra denominou este evento de impulso de inteligência: “Significa um pensamento e uma molécula ligados como dois lados de uma moeda. Assim que surge o impulso, não há mais volta. O pensamento é a molécula e a molécula é o pensamento.”

4) A natureza quântica da relação pensamento-molécula é devido ao fato de não se conhecer em que ponto ocorre transformação do pensamento em matéria.

A mudança ocorre, porém, não leva tempo nenhum nem acontece em algum lugar. Ela está ligada a um processo oculto de transformação de não-matéria em matéria.

Esse processo gera um salto descontínuo de um nível de função para outro. E podemos considerar que tanto o pensamento quanto a molécula são unidades indivisíveis. A partir da existência primeira destes dois elementos é que teremos o desencadeamento das reações posteriores a esse evento.

O campo onde ocorre a descontinuidade, onde pensamento e molécula tornam-se algo que não é molécula nem pensamento, é considerado por Chopra um campo abaixo do nível quântico em nosso interior. Este campo abriga a “energia inteligente” citada acima (item 2).

Entre o campo de energia inteligente e o campo acima - que corresponde às duas escolhas possíveis dessa inteligência, ou seja, “mente” e “corpo” - está o nível quântico, chamado por Chopra de “corpo mecânico quântico”.

O corpo mecânico quântico “não se trata de algo físico, mas de uma camada de inteligência, a camada onde o corpo se estrutura e se organiza como um todo”. Dela vem o que foi denominado de “know-how” - ao invés de utilizar o termo inteligência - que torna as moléculas “vivas” ao invés de “dispersa, sem forma e caótica”.

Neste artigo mostramos a relação que há entre a produção de neurotransmissores no organismo e os pensamentos para conseguirmos expor a idéia do mecanismo quântico que envolve a relação mente-corpo.

Vale acrescentar aqui que, quando consideramos que o organismo possui uma inteligência própria – responsável por manter nossas funções fisiológicas e todos os processos relacionados à homeostase – devemos considerar que esta inteligência consegue coordenar sua ação através da utilização de nosso código genético (DNA).

José Laércio do Egito, em seu livro “Homeopatia – Introdução ao Estudo da Teoria Miasmática” aborda esse mesmo raciocínio, alterando o nome da energia que os homeopatas consideram como “força vital” - que também é responsável pela manutenção da homeostase no organismo - para inteligência vital. Ele diz que, para o corpo funcionar em condições fisiológicas normais, é necessário três componentes: uma nutrição adequada, um código genético e a inteligência vital.

O próximo artigo é uma continuidade deste artigo, o qual descreve a visão quântica de Chopra sob outro aspecto.


Referências:

- A Cura Quântica – Chopra, Deepak - Ed. Best Seller

- Homeopatia – Introdução ao Estudo da Teoria Miasmática (3a Edição) – Robe Editorial

- Comunicação entre as células nervosas – Cardoso, Silvia Helena http://www.cerebromente.org.br/n12/fundamentos/neurotransmissores/neurotransmitters2_p.html


Direitos Reservados - 2014